Agenda – Feiras de Franquias

Confira as datas e locais das próximas feiras de franquias e programe-se!

5ª Rio Franchising Business 2011
Data: 15 a 17 de Setembro de 2011
Local: Riocentro – Pavilhão 2 – Rio de Janeiro – RJ
Ingresso: R$ 25
www.riofranchisingbusiness.com.br

Rio Preto Franchising Business
Data: 14 a 15 de Outubro de 2011
Local: Complexo da Swift – São José do Rio Preto – SP
Ingresso: R$ 5
www.riopretofranchising.com.br

Maringá Franchising Business
Data: 28 e 29 de Outubro
Local: Parque Internacional de Exposições Francisco Feio Ribeiro – Maringá – PR
Ingresso: Entrada Franca
www.mfbusiness.com.br

ABF Franchising Expo Nordeste
Data: 8 a 11 de Novembro de 2011
Local: Centro de Exposições de Pernambuco – Recife – PE
Ingresso: Entrada Franca
www.abffranchisingexponordeste.com.br

Inovação em Franquias

Há uma forma de inovar sobre a qual ninguém perguntou até agora: franquia é bom negócio? O gerente da Unidade de Atendimento Individual (UAI) do Sebrae, Ênio Pinto, diz que é “um fã de franquia, porque dá a oportunidade de ver como é que vai ser amanhã, ou seja, permite visitar o futuro!”

De acordo com Ênio, a franquia é uma vantagem, pois o empresário já começa pegando carona no sucesso, aprendendo com que já está no mercado há muito tempo. “A adrenalina de estar à frente dessa unidade franqueada é a mesma de estar à frente de um empreendimento, porque como você colocou o seu recurso para aquisição. Só que é um risco bastante minimizado em função de que você está aprendendo com os erros e os acertos do proprietário da rede de franquia.”

O modelo de negócio das franquias facilita a tomada de decisão na hora de abrir o negócio. “É muito interessante você poder começar uma empresa e antes dela efetivamente existir visitar outras que são absolutamente similares à sua, e interagir com os proprietários dessas unidades. A conversa é muito simples: ‘meu amigo, se você tivesse começando, se você tivesse novamente recursos na mão, você compraria uma unidade dessa rede de franquia?’ O que você vai ter de resposta é crítico pra você tomar sua decisão.”, ressalta o gerente da UAI.

Experiências de sucesso

O Lindolfo Leopoldo é dono da Multicoisas, que tem 70 lojas franqueadas em todo o Brasil. O “A gente optou por esse sistema de expansão porque a gente achou seguro. Se tivesse optado pelo sistema de filiais, a cada nova unidade, estaria repartindo o nosso capital humano e o de dinheiro.”

O Ênio Pinto concorda que franquear também é bom negócio para quem quer crescer. “É uma estratégia de ampliação extremamente inovadora por uma questão muito simples: você vai está cedendo a sua marca e todo seu processo para terceiros a fim de que levem o seu negócio e o seu nome para várias regiões do País, sem ter que botar a mão no bolso ou fazer novos investimentos. Isso para um pequeno empreendedor é fundamental!”

Há uma grande sinergia entre franqueador e franqueado. O tempo todo há troca de informações para melhorar o negócio. “A rede de franquia está sempre à frente em função disso: são vários proprietários do mesmo negócio pensando, se envolvendo, se dedicando.”, afirma o gerente.

Fonte: Blog Faça Diferente – SEBRAE

Como é uma franquia no segmento de Hotelaria e Turismo

Sempre escutei que para se colher bons frutos não é somente necessário plantar uma semente e saber cultivá-la, mas sim conhecer os efeitos externos do clima para que durante o processo de crescimento já começamos a obter frutos. Ultimamente, tenho notado que esse antigo provérbio não é usado só para o campo, mas também em qualquer situação diária, e até mesmo no ramo empresarial.

Desde que comecei minha vida profissional, tinha grande interesse em ter meu próprio negócio, porém não sabia como tornar esse sonho em realidade. Sempre gostei da área de turismo e desejava unir o útil – trabalhar com negócios no ramo – ao agradável – estar vendendo e realizando viagens. Comecei a trabalhar na área de intercâmbios e turismo em uma empresa com total experiência no ramo. Foi assim que tive meu primeiro contato com o processo de aprendizado no turismo. Isso ajudou a encontrar meu caminho e mostrar qual seria minha futura plantação.

Como nas plantações, precisamos saber qual tipo de semente vai sobreviver ao clima de chuva ou sol e em qual período teremos uma boa colheita. Meu processo não foi diferente. Comecei a trabalhar na Central de Intercâmbio quando ainda a própria estava em crescimento, ou seja, a semente já estava crescendo e dando frutos. A empresa já possuía uma credibilidade muito grande. Conseqüentemente, eu me apaixonei ao conhecer diariamente esta empresa, que cultivava as sementes e procriava novos ramos, fazendo-me, assim, acreditar que através dela o meu fruto poderia nascer.

Nos negócios precisamos fazer planos, saber quais são os melhores empreendimentos e quais os setores que estão sempre em crescimento em um clima brasileiro como o nosso. Isso nada mais é que conhecer os efeitos externos, em outras palavras, conhecer o mercado e saber que ter uma franquia é o caminho mais fácil para se obter rápidos resultados.

Depois de dois anos estudando diretamente esse processo, em outubro de 2002 decidi plantar minha primeira semente. Comprei minha franquia. Hoje, além de levar o know-how da empresa, ainda tenho a vantagem de receber o suporte da mesma em outros ramos internos como o marketing, gestão, administração e tecnologia. As vantagens não param por aí. Usufruo também da competitividade que a empresa já possui no mercado, dando-me os benefícios de poder oferecer produtos que foram testados e comprovados. Obviamente que o processo de aceitação do produto no mercado é muito mais rápido, pois apesar dos frutos de minha plantação ainda serem pequenos, já estão dando lucro.

Por isso, ainda acredito que, quando chegar o momento da colheita madura, estarei plenamente satisfeita porque a interação entre a terra e o crescimento da semente cultivada será o mesmo que o crescimento de uma franquia no mercado, obtendo, é claro, excelentes resultados.

Fonte: Portal do Franchising – por Mariana Dominiguetti – Franqueada CI – Central de Intercâmbio, em Ribeirão Preto

Confira as opções de Franquias de Hotetelaria e Turismo clicando aqui!

Entre o bar e o salão de beleza

Empresária carioca cria negócio que une bebidas e comidas de bar a serviços de cabeleireiro e manicure.

Lugar para homem relaxar é no boteco. Para a mulher esfriar a cabeça, é no salão de beleza. A administradora de empresas carioca Cláudia Moscardini, 42 anos, partiu desse raciocínio para criar seu negócio próprio. Mas desenvolveu um espaço que garante às clientes acesso às duas “modalidades” de relaxamento.

O resultado foi o Boteco de Mulher, um salão de beleza localizado no bairro do Catete, no Rio de Janeiro. Além de oferecer todos os serviços de um salão convencional, o estabelecimento é também um bar com quitutes e bebidas alcoólicas e não alcoólicas. A grande maioria dos clientes são mulheres, naturalmente. “Mas tem muito marido que vai acompanhar a esposa e acaba tomando uma cervejinha enquanto espera”, conta Cláudia.

No cardápio estão quiches, sanduíches naturais, tortas, amendoim, refrigerantes e, como não poderia faltar em nenhum bar, cerveja. “O que mais sai são as quiches”, conta a dona. “E, de bebidas, na verdade, as taças de prosecco!”.

A ideia, explica ela, não é transformar o ponto em um grande bar, mas sim em um salão que se diferencie da concorrência. “Estamos em um local onde já tem muitos salões, então eu quis fazer algo que fosse diferente”, diz Cláudia.

E não é só no bar que está o diferencial. Há outros detalhes e cuidados pensados pela frequentadora de salões, como uma prateleira que reúne todos os esmaltes expostos – “é tão ruim ter que ficar procurando nas caixinhas das manicures” – e caprichadas poltronas de massagem no lugar das cadeiras para as clientes – “sempre achei fazer a mão uma coisa muito desconfortável.”

Cláudia conta com a ajuda de uma gerente operacional, que cuida do abastecimento do boteco. Outra funcionária aquece os lanches, serve as bebidas e lava a louça. “Nós fizemos uma pequena estação, com geladeira e forno, para esquentar a comida. Não cozinhamos nada aqui, compramos tudo pronto”, diz a empresária.

Todos estes detalhes, do bar às poltronas, serão reproduzidos nas franquias da rede, modelo de expansão que Cláudia está iniciando agora. “A primeira franquia está quase pronta para ser aberta, ainda maior que a nossa loja, e há outra em preparação para abrir em janeiro”, diz a empresária.

A expansão, no entanto, será cuidadosa. Embora já tenha recebido, com as primeiras propostas, convites para levar a marca para capitais como Porto Alegre, Belo Horizonte e Salvador, Cláudia quer primeiro ganhar espaço no Rio, para depois se aventurar mais longe. “Nunca trabalhei com isso, então quero ter o tempo de aprender a lidar com tudo também”, diz. “Além disso, quero poder participar ativamente das franquias, ajudando no recrutamento e nos negócios e dando apoio de diferentes formas.”

Até 2008, Cláudia ocupava o cargo de superintendente de recursos humanos em um banco, mas foi demitida em um grande corte feito no final daquele ano, por conta da crise internacional. Dois meses depois, seu marido, que trabalhava na área de informática, também perdeu o emprego. “Eu estava com 40 anos, a idade começava a pesar, meu cargo era de difícil recolocação”, conta. “Era a hora de decidir se procurava outro emprego ou se abria um negócio.”

Seguiu pela segunda opção. Passou meses se revezando entre cursos de empreendedorismo e salões de beleza por toda a cidade, até chegar ao modelo de seu boteco-salão, inaugurado em dezembro de 2009.

“Não foi uma escolha fácil, mas foi acertada”, diz Cláudia. “É diferente de trabalhar para uma empresa. É como um filho nosso, e é muito bom vê-lo crescendo.”

Fonte: site Revista PEGN – por Juliana Elias

TESTE – Como estão seus conhecimentos sobre empreendedorismo e negócios?

Faça o teste e veja como estão seus conhecimentos sobre empreendedorismo e negócios e descubra se você está por dentro do Business World!

Para fazer o teste, acesse o link: http://www.quizyourfriends.com/take-quiz.php?id=1109120929226664&a=1&

Confira seu resultado:

0 – 30%
Você precisa melhorar seus conhecimentos sobre o mundo dos negócios!

40 – 70%
Você está no caminho certo, mas precisa estudar um pouco mais!

80 – 100%
Ótimo! Você está afiado, continue assim!

Perfil de empreendedor é chave na escolha da franquia

Não é porque o formato está pronto que é fácil escolher uma franquia. O negócio, segundo Maria Cristina Franco, vice-presidente da Associação Brasileira de Franchising, também deve estar ligado ao perfil do empresário.

Foi isso que Carlos Cavalcante, 51, levou em consideração quando decidiu deixar a área de metalurgia, na qual atuava havia 30 anos, para abrir, a menos de um ano, uma franquia da EcoJardim, de serviços de jardinagem, em São Paulo.

“Estava esgotado com o estresse e procurei algo que me desse qualidade de vida e prazer”, afirma o empresário.

Sem pensar apenas no lucro, Cavalcante optou pela área de jardinagem também pelo custo — o investimento inicial foi de R$ 10 mil — e pela possibilidade de levar uma vida tranquila, mais próxima a família.

No caso de Emiliano Ricas, 32, abrir uma franquia de concursos — a Pró Labore OAB e Concursos — foi um caminho natural.

Advogado, o empresário apostou no segmento como forma de estar próximo a sua área de atuação e ao público com o qual gosta de lidar. “Esse segmento é cada vez mais promissor no Brasil”, afirma ele que investiu R$ 60 mil na franquia, que abriu em junho de 2010 em Betim, região metropolitana de Belo Horizonte (MG).

Para Ana Paula Gomes Mascagni, 33, a franquia da Empada Brasil, que abriu em shopping em São Paulo, foi uma alternativa à carreira em fisioterapia. “Estava insatisfeita com a profissão”, conta.

O sentimento de frustração aliado ao gosto que tinha pelo produto da marca fez com que a empresária inaugurasse o quiosque há um ano. “Abrir um negócio próprio ou um restaurante é caro e trabalhoso. Com o quiosque, a mão de obra não é tão grande”, afirma.

“Sou apaixonada por coisas de cozinha e isso ajuda muito”, completa a empresária, que investiu R$ 50 mil no quiosque.

A escolha pelo setor de alimentação também deve-se ao rendimento que ele traz. “Esse ponto pesou muito, porque o brasileiro corta a drenagem, mas não corta alimentação”, afirma Mascagni.

A afinidade com o negócio também fez com que Mário Catto, 60, fosse o primeiro franqueado da marca Doctor Feet, de artigos de podologia e produtos ortopédicos.

Ao se aposentar, em dezembro de 1999, Catto decidiu abrir um negócio simples, que não lhe desse tanto trabalho e que fosse rentável. Aliado a isso, afirma, também pesou a possibilidade de atuar na área de saúde. “Essa é uma grande satisfação”, diz.

CADA PERFIL, UMA FRANQUIA

Essas histórias têm em comum o fato de os empresários terem alguma afinidade ou ligação com os negócios que abriram.

“Tenho que buscar identificar-me com aquele negócio e não abri-lo só porque dá lucro. Precisa ser prazeroso”, ressalta Franco, da Associação Brasileira de Franchising.

“Quem quer comprar uma escola, por exemplo, tem de gostar de jovens”, exemplifica Franco.

Ela dá outras orientações. No mercado de cosméticos e produtos de beleza, é preciso ter “paciência para lidar com o público feminino”. No de alimentação, cuidados com higiene.

Em moda, é importante que o empresário esteja atento a tendências. “Não pode ser alguém desantenado, porque ele vai ter dificuldade de operar o negócio”, considera Franco.

O mais importante, diz, é que a escolha também “busque realização pessoal”.

Fonte: Folha.com – por Camila Mendonça (via Portal do Franchising)

Rede abre duas lojas de produtos Disney em Campinas

Campinas recebe nos próximos dias duas unidades da Fantasia, rede de franquia de produtos Disney, que tem o apoio da Disney Company do Brasil. A primeira loja será inaugurada no dia 3 de setembro no Shopping Center Iguatemi. No dia 8 é a vez do Shopping Parque D. Pedro receber uma unidade.

A rede comercializa mais de mil itens que custam entre R$ 3,00 e R$ 500,00, como materiais de papelaria, brinquedos, eletrônicos, jogos interativos, bolsas, roupas e artigos para a casa. Alguns produtos serão exclusivos no Brasil e só serão vendidos nos quiosques Fantasia. Os produtos são de fornecedores nacionais e internacionais licenciados, que atendem às exigências da Disney Company do Brasil.

“A Fantasia vai ser um pedacinho da Disney no Brasil”, diz Danielle Lyra, sócia fundadora da marca. O investimento de uma unidade Fantasia é de R$ 190 mil. O valor inclui taxa de franquia, instalação da unidade, estoque, capital de giro, marketing inaugural e treinamento dos franqueados com a equipe do Disney Institute, em Orlando.

A projeção de retorno médio é de 18 meses e o faturamento médio de R$ 50 mil. Os quiosques tem 6 metros quadrado, com cerca de cinco funcionários por ponto. A rede tem um forte plano para expansão da marca. Com apoio da Disney, a Fantasia deve fechar 2011 com faturamento de R$ 8 milhões, somando 38 pontos.

Em 2012, a estimativa deve passar de 120 franquias, com faturamento de R$ 50 milhões. Para janeiro do próximo ano já estão acertadas a abertura de seis unidades. A região Sudeste abriga 86% da atuação da rede no País. (AAN)

Fonte: Jornal Correio Popular – Edição do dia 02/09/11

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 512 outros seguidores